23 de fevereiro de 2010

francisca & me


acabei de ver o "Marley & Me".
um daqueles filmes domingueiros, muito embora hoje seja terça-feira e a estas horas não se veem filmes destes. eu, pelo menos, não tenho o hábito.

de folga, e já com a consciÊncia pesada por não ter acordado a tempo de uma aula que devia ter assistido, concordei comigo em parar mesmo, e sentar-me no sofá a olhar para a televisão. passava, num dos canais tvcine, esta peliculazinha pelo que resolvi ver.

não sei, os poucos que por aqui deambulam, se já viram este filme mas aos que sim, irão perceber o que senti.
Filme domingueiro sobre casal novo que compra um cão - the worst dog ever! 
o casal tem as suas próprias ambições profissionais, mas a vinda de filhos complica tudo e ambos tem que ceder à vida, e abdicar daquilo que gostam.
a xepa do casal fica em casa com os filhos, e o cão. o marido do casal deixa de ser reporter para ser colunista, muito embora ache que não é isso que gostaria de fazer, mas pagam melhor.

xepa à beira dum ataque de nervos porque a vida de doméstica é para lá de complicada. e o cão sempre lá.

melhor amigo do marido muda-se para nova york, para seguir a carreira de reporter; marido fica triste porque sempre foi o sonho dos dois e ele agora não pode fazê-lo porque tem uma familia para cuidar.

e o cão sempre lá.

a xepa realiza que a escolha de ficar com os putos foi dela, e reconhece que tem de encarar as coisas de outra maneira, começando por apoiar o marido.

prometem não ter mais filhos, porque dois já chega e tem o Marley.

9 meses depois nasce uma filha.

nova proposta de emprego para ele, e off they went to Philadelphia.

Casa de campo, famila grande, o cão. Tudo a funcionar às mil maravilhas.

e quando tudo funciona às mil maravilhas, filhos crescidos, casa maravilhosa, xepa controlada, emprego bom, o cão, que sempre esteve lá, começa a dar sinais de velhice.

é a partir de aqui que as lágrimas começaram a correr carinha abaixo e fizeram desta yours trully uma maria madalena aos prantos na sala, às 11 da manhã duma terça-feira. 

canito estás nas últimas depois de ter acompanhado esta familia durante o que se presume serem 10 anos. acaba por ter que ser posto a dormir com os anjos dos canitos, mas o marido fica com ele até os olhinhos se fecharem.

e o filme termina com esta frase:

" o marley era só um cão. um cão gosta de nós quer sejamos burros ou inteligentes, quer tenhamos dinheiro ou não. Um cão está presente em todas as situações, boas ou más. não nos abandona. o nosso  cão faz-nos sentir extraordinários."

limpei as lágrimas, lavei a cara, e corri para a minha gata de 10 anos, que se banhava ao sol no pátio.

dei-lhe o amor, escovei-a até reflectir o sol, mais amor.

A francisca está comigo desde que comecei a viver sozinha. tem o meu feitio, TODO! gosta de sopas e descanso, de dormir na minha manta, de latinhas de Golden Wiskas, de preferência de peixe branco.

a francisca é uma gata, mas tem estado comigo em todos os momentos, os bons, os menos bons, os assim-assim, e os maus. viu nascer o meu filho, e nunca lhe levantou uma unhaca. já foi lisboeta de campo de ourique, viajou em primeira classe, tornou-se insular terceirense, e agora vive no seu T0 (vulgo casa para cão grande), com cama king size, e almofadas da IKEA noutro ilheu (dizem que o maior). partilha connosco umas horas de casa ( INT.) e, sempre que pode, faz um run for her life para a cama do meu crianço.

a francisca é uma gata, mas é também a minha melhor amiga.

 

3 comentários:

Little Smiley Turtle disse...

ohhhh....

oh pá....lembraste-me do meu caozinho, o mais fiel de todos que morreu no meu colo...

e lembraste-me que o Mike, sim, também já tem 10 anos...e o meu rafitas quase 8....

Oh pá....

Maria disse...

eu vi e chorei muito a lembrar-me que em 8 anos de casa nova já por aqui passaram 3 cães e um gato

o félix, foi o primeiro, um english springle spaniel.... apareceu morto no quintal....chorei baba e ranho

depois veio o max, um labrador preto lindo que cresceu até ficar gigantesco mas era um doce de animal.... apareceu morto no canil....mais baba e ranho cara abaixo.... mais um funeral de animal cá de casa....

depois o gato que se chamava mesmo gato..... arisco e adorava a sofia.... desapareceu no quintal, não mais voltou...

depois veio o snoppy, as miúdas pediram e veio um caniche anão, cãozinho muito "maricas", como dizia paulo, mas elas adoravam...... diz que foi dar um dos seus passeios habituais à rua e um dia não voltou mais.....miúdas aos prantos.....

desisti de ter animais em casa, é que nem um peixinho se vem mais aqui pra dentro.... azar, vizinhos maus, não faço ideia porquê mas nunca duram muito, só o suficiente pra gente gostar deles e depois vão....

PIRII disse...

o Marcelo Rebelo de Sousa ou o inquilynus o quê melher?