9 de abril de 2010

point/less

sem sentido.

o caminho que percorro não tem sentido. tanto posso ir pela esquerda, como pela direita, em sentido contrário ou no sentido que for contrário ao contrário.

vou por aí às escondidas, a espreitar às janelas, perdido nas avenidas e achado nas vielas, (Rui veloso, Paixão segundo são Nicolau da viola), hoje assim, amnhã talvez assado.

do conceito de Plano, já não tenho memória. do rush da hipóstese, nem sombras.
a vida tornou-se previsível, sem o visível, e muito menos sem o pre. a vida simplesmente é.

eu, simplesmente, estou.

4 comentários:

Little Smiley Turtle disse...

Apenas em ti, está a capacidade de mudança!

SP1 disse...

Acabo de ler o teu post e decidi comentar.

Quando a pop-up surgiu e li o comentário da Tartaruguinha, achei perfeito.

Como já estava tudo dito, mas queria comentar na mesma...

Pois que foi assim.

AtiZ disse...

Todos nós temos fases boas e menos boas, mas lembra-te da frase da Smiley, porque tem toda a razão, se não fizeres por ti mais ninguém faz....

Beijinhos, olha e caso necessites mil quinhentos e vinte e um.....

capice?

SP1 disse...

IATEMESMOSOFRER-IATE!!!